Investimento de Impacto

Em parceria com os nossos investidores, estamos empenhados em deixar um legado de investimento de impacto, que contribui para o processo de tirar as nações da pobreza.

Investimento de impacto através da dívida soberana

A Global Evolution, em parceria com os nossos investidores, está empenhada em deixar um legado de investimento de impacto, que contribui para tirar as nações da pobreza.

O financiamento da dívida que cria sustentabilidade macroeconómica e promove a produtividade, aumenta a infraestrutura, tal como a produção de eletricidade, a saúde, água, segurança, transporte e sistemas escolares, tem um impacto significativo na redução dos níveis de pobreza.

Na Global Evolution, efetuámos uma pesquisa abrangente sobre a relação entre o investimento em dívida soberana e os indicadores Ambientais, Sociais e de Governação (ESG).
Existe uma correlação clara entre os custos de financiamento soberano e a dinâmica ESG, sendo a governação, o que não surpreende, predominante. Ao não integrar a dinâmica ESG nas decisões de investimento, os investidores sacrificam informação essencial.

Além disso, através de mais de 15 missões nos países anuais, levamos a cabo um abrangente diálogo no terreno com os decisores políticos, discutindo estratégias para otimizar as suas estratégias de financiamento com vista a promover o desenvolvimento económico mais rápido e sustentável.

A importância dos fatores ESG

Na Global Evolution reconhecemos a importância dos fatores Ambientais, Sociais e de Governação (ESG) para os investidores e consultores a nível global e continuamos a ajudar os nossos investidores a atingir os seus objetivos individuais ESG.

Uma abordagem ESG forte, integrada e ativa tornou-se um pre-requisito para as gestoras de investimento operarem no mercado atual, mas também certamente um importante critério de seleção para muitos investidores institucionais.

Através do nosso esforço significativo de pesquisa quantitativa, descobrimos que existe um motivo forte para considerar a dinâmica ESG parte do processo de investimento. A dinâmica ESG está altamente relacionada com os retornos – consequentemente, recompensando ESG com retornos! A Global Evolution é um signatário ativo dos programas das Nações Unidas Princípios para o Investimento Responsável e Global Compact, publicando continuamente pesquisa efetuada sobre os assuntos relevantes da dinâmica e processo de integração do investimento ESG.

A Global Evolution é também é membro do Conselho de Administração do UNPRI Advisory Committee on Credit Ratings (ACCR), que toma ativamente os fatores ESG em consideração.

Integração ESG da Global Evolution

A Global Evolution tem um compromisso estratégico para com o investimento de impacto e sustentabilidade ESG como parte integrante da nossa abordagem ao investimento. Em termos da nossa abordagem ESG, incorporámos a dinâmica ESG ao longo de todo o nosso processo de investimento através de diversos modelos econométricos quantitativos próprios.

Para todo o universo de países com mercados emergentes e fronteira, construímos classificações ESG próprias, notações de crédito ajustadas aos fatores ESG, bem como sinais de avaliação estatística para os diferenciais de crédito soberano e divisas baseados na dinâmica ESG.

Com toda a modéstia, consideramo-nos na vanguarda da pesquisa soberana ESG e da integração ESG do investimento soberano. Continuamos a desempenhar um papel ativo no domínio público através da nossa agenda de pesquisa ESG e da nossa estreita colaboração com o Banco Mundial, as Nações Unidas, e outros intervenientes importantes.

Ratings ESG

A Global Evolution dispõe de ratings ESG próprios para todos os países de mercados emergentes e fronteira num conjunto de mais de 100 indicadores E, S e G. Os nossos ratings ESG são calculados no nosso simulador ESG que está integrado nos nossos sistemas de TI próprios e contribui com informação valiosa para o processo de investimento.

Os Ratings ESG são otimizados através de simulações de diversas variáveis e ponderações e só incluem indicadores com influência significativa no desenvolvimento económico e socio-económico sustentável dos países. Nesse contexto, a dinâmica ESG está ligada aos investimentos soberanos de longo prazo através do investimento sustentável. Os ESG Ratings servem para informar o nosso processo de investimento e como contribuição para os nossos modelos de avaliação quantitativa e rating.

Modelo de Seleção Negativa

Como parte da supervisão da dívida soberana operamos com um modelo de seleção negativa que fornece uma lista de vigilância para os países devido a razões relacionadas com níveis insustentáveis de desenvolvimentos de governação. Os principais indicadores são utilizados como índices de referência, tais como: direitos politicos, liberdades cívicas, democracia, corrupção, indicadores de estado falhado, e se as instituições financeiras internacionais estão dispostas a estabelecer relações com o governo. A deterioração de tais indicadores pode levar à exclusão do universo de países em que é possível investir. Preferimos não tomar decisões tão drásticas e encorajar um governo a agir da forma que, na nossa opinião, trará benefícios à maioria da população. No entanto, em circunstâncias extremas de mau funcionamento do governo, não somos a favor de uma estratégia de interação positiva.

Modelo de Avaliação e de Rating

Modelo de Avaliação:
: Ao integrar fatores fundamentais macroeconómicos, financeiros e ESG nos nossos modelos de avaliação, a Global Evolution calcula os sinais para as avaliações dos diferenciais do crédito soberano e das divisas. Os modelos econométricos são baseados num painel com regressão de dados de todo o universo de mercados emergentes e fronteira e comparam o valor fundamental justo dos diferenciais do crédito soberano e das divisas com os níveis atuais do mercado. Os modelos simulam sinais de avaliação superior/inferior/ justa bem como o significado estatístico para informar o processo de investimento quando os principais indicadores dos diferenciais do crédito e das divisas mudam.

Modelo de Rating:
Modelo de Rating calcula os ratings do crédito de elevada frequência e aproveita a dinâmica dos fundamentos calculados no Modelo de Avaliação, incluindo fatores macroeconómicos, financeiros e ESG. Esta dinâmica de elevada frequência nos fundamentos é aplicada para ajustar os ratings de crédito oficiais e de baixa frequência fornecidos por exemplo pela S&P e pela Moody’s, e calcular os ratings dos países que ainda não têm nenhum. Esta metodologia própria fornece um indicador mensal para os upgrades/downgrades do rating de crédito merecidos em termos fundamentais e que não são capturados nos ratings de crédito oficiais, consequentemente fornecendo ao processo de investimento informação atempada sobre as avaliações da dívida soberana.

Um exemplo de como o ESG está integrado no processo de investimento: